Autoridades apresentam panorama da saúde em Itu e visitam obras do Hospital Municipal

O panorama da gestão da saúde pública em Itu foi apresentado na última terça-feira (24/04), a vereadores, membros do Conselho Municipal de Saúde e da imprensa. A apresentação, que ocorreu no auditório da Prefeitura, ficou a cargo do prefeito Guilherme Gazzola e da secretária municipal de Saúde, Janaina Guerino de Camargo, e foi seguida de visita às obras do Hospital Municipal. Também estiveram presentes o vice-prefeito Caio Gaiane e a primeira-dama, Patrícia Müller Gazzola.

Guilherme Gazzola afirmou que governar é fazer escolhas baseadas em números e fatos. De acordo com pesquisa realizada em Itu, o resultado de aprovação do serviço municipal de saúde foi de 60%, ou seja, esse porcentagem da população que usa o sistema qualificou o mesmo como bom ou ótimo. Observou que o resultado representa que o trabalho feito pela administração municipal está no caminho certo.

Na oportunidade, as autoridades esclareceram quais são as atribuições relativas à saúde para cada uma das esferas: municipal, estadual e federal. Foi divulgada a estrutura atual dos serviços oferecidos pela prefeitura na rede básica, de especialidades, em urgência e emergência; a informatização da saúde (iniciada em abril, visa tornar digitais todos os processos da saúde pública: fichas, prontuários, agendamento de consultas e exames, entre outras necessidades) e criação de aplicativo de agendamento de consultas.

imagem_release_1270408

 

Também foi abordada a implantação do hospital municipal, onde serão realizadas cirurgias de baixa e média complexidade, o que justifica o conceito de Centro Cirúrgico/Hospital Dia. O atendimento cirúrgico será realizado 12 horas por dia. O projeto busca maior resolutividade com baixa permanência no hospital.

As principais cirurgias (baixa e média complexidade) realizadas no equipamento serão: geral, pediátricas, dermatológicas, urológicas, ginecológicas, oftalmológicas e ortopédicas. Haverá ainda administração de medicamentos, exame de termografia ou termometria e colonoscopia com preparo hospitalar. Os leitos estarão disponíveis 24 horas quando os pacientes precisarem de retaguarda, como em casos de necessidade de assistência clínica para administração de medicamentos e preparo para exames diagnósticos.

O hospital contará com dois centros cirúrgicos, 42 leitos, ar condicionado central e atendimento aos requisitos referentes à acessibilidade. A previsão é que as obras do referido equipamento sejam concluídas até o final do ano e estuda-se que a implantação dos serviços ocorra conforme as demandas.

imagem_release_1270407.jpg
Beto Silvestre/Prefeitura de Itu

Em casos de urgência e emergência, o primeiro atendimento continua sendo em um Pronto Atendimento Municipal (PAM) ou na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Os casos graves (alta complexidade/UTI) continuam sendo atendidos pelo Hospital São Camilo e rede referenciada do Estado. A Upa e o PAM da Vila Martins funcionam diariamente durante 24 horas; e o PAM do Parque Industrial de segunda a sexta-feira, das 19h às 7h, e 24 horas aos finais de semana.

A secretária mencionou ainda o aprimoramento do serviço de 192 (ambulâncias) por meio da implantação da Central de Regulação Municipal da Rede de Urgência e Emergência; e quais tipos de medicamentos devem ser comprados pelo município e os que são enviados pelo Governo do Estado. Também citou a compra de um aparelho de Ultrassom e que outro está em processo de aquisição; a compra de materiais para realizar biopsias de próstata e mama; e que equipamentos para o Hospital Municipal e para o Ambulatório Cardiológico estão em processo de licitação.

Foram destacadas ainda as principais realizações na área da Saúde como, por exemplo, as criações do Centro de Vigilância em Saúde, da Farmácia Central e Regional, as inaugurações do novo prédio da UBS 13 e da UBS 16, a implantação de ponto eletrônico nos serviços da saúde, a reforma e compra de gerador para o PAM da Vila Martins, reestruturação da Central de Ambulâncias – Transporte Sanitário, a criação e implantação de protocolos, o pleno funcionamento da UPA, a consolidação das unidades e revisão de contratos de aluguel cuja redução em valores possibilitou alugar o prédio que abrigará o Hospital Municipal, descentralização dos consultórios dentários, criação do Consórcio Intermunicipal de Saúde (do qual também participam as cidades de Porto Feliz e Salto), habilitação de mais uma unidade do Melhor em Casa, entre outras.