Loja Walmart passa por mudanças

A assessoria de imprensa do Walmart informou que o hipermercado de Itu não irá fechar, mas está passando por mudanças que estão sendo implantadas em todas as lojas da rede, que serão concluídas até 2018.
Iniciado em 2015, o projeto de reinvenção da rede se baseou em diversas pesquisas com consumidores para entender suas preferências e anseios em relação ao formato hipermercado. “Fizemos uma verdadeira transformação, alterando desde a planta da loja, tipo de sortimento e serviços oferecidos a equipamentos do salão de vendas e das áreas internas”, detalha Flavio Cotini, presidente do Walmart Brasil.
De acordo com Cotini, o objetivo da reinvenção é oferecer uma melhor experiência de compra para os clientes. “Teremos uma loja mais confortável, maior qualidade nas frutas e verduras, sortimento mais inovador nos itens de tecnologia e preços baixos sempre”, cita. “Com uma loja mais produtiva e eficiente, conseguimos oferecer preços mais baixos em uma loja acessível para todos os públicos”, completa.
Em relação ao sortimento de produtos, as mudanças serão amplas. A lojaserá dividida em três principais áreas: mercearia e higiene/limpeza, perecíveis e não-alimentos/beleza. Na área de mercearia, o foco é produtividade: os produtos estarão em pallets e em caixas prontas para exposição nas gôndolas. “Os pallets se encaixarão direto na parte inferior das gôndolas, facilitando a reposição e ampliando a produtividade”, cita.
Na área de perecíveis, o foco será na qualidade das frutas e verduras para atrair e fidelizar os clientes. “Esta área é a maior geradora de tráfego da loja, por isso a ideia é ter uma atmosfera de experimentação”, destaca.
“Na área de eletrônicos, teremos foco no sortimento que o cliente deseja. Ou seja, vamos trazer muita inovação e as soluções de tecnologia para facilitar o dia a dia do consumidor”, complementa.
E para facilitar o acesso e circulação dos clientes, as lojas ficarão mais claras, com corredores mais amplos e gôndolas mais baixas. Dessa forma, será possível visualizar todas as seções da loja a partir da entrada. Além disso, os clientes poderão acessar o novo hiper por duas entradas – uma pela área de perecíveis e outra pela de não-alimentos. Em cada uma delas, haverá espaço para exposição de itens específicos da sazonalidade. O projeto também inclui melhorias nos estacionamentos e na galeria de serviços, com um mix de lojas mais adequado às necessidades dos clientes.

Migração
“Operamos hoje cinco formatos de lojas entre hipermercados, supermercados, lojas de vizinhança, de atacado e clubes de compras. No caso dos hipermercados, temos três bandeiras diferentes no país. Precisamos simplificar nossa operação e resolvemos focar nos hipermercados pela representatividade no nosso negócio”, detalha Cotini. “Esta é mais uma medida para tornarmos nossa empresa mais simples, ágil, com processos padronizados e melhores resultados”, acrescenta.
Fortalecer o mix regional das lojas, mesmo com a migração das bandeiras, passa a ser ainda mais estratégico para o Walmart. “Continuaremos a observar as necessidades e preferências regionais. O café, por exemplo, é um produto que o consumo no Sul não é o mesmo do Nordeste, muda até entre estados da mesma região. Somos líderes desse mercado há décadas, conhecemos muito bem o consumidor de cada localidade,” reforça.