Barragens de captação de água bruta operam com 81% de capacidade em Itu e não comprometem abastecimento da cidade

Queda de temperatura e a colaboração da população na redução do consumo favoreceu o nível das reservas, monitoradas semanalmente. Uso consciente ainda é fundamental neste período de estiagem.

O mais recente levantamento de nível dos mananciais que abastecem a cidade de Itu mostra que as sete barragens de captação de água operam com 81% de capacidade, na média, de acordo com informações da Companhia Ituana de Saneamento – CIS . 
As Bacias São Miguel e São Miguel/Varejão, que abastecem a região do Pirapitingui, operam com 90% e 95%, respectivamente. No abastecimento da região central, atuam as bacias do Braiaiá e São José com 100% de sua capacidade. Bacia do Taquaral/Pirapitingui com 85% e Bacias do Itaim e Gomes com 50%.  
Atenta ao nível da barragem do Itaim, a CIS promoveu a instalação de motor bombas para transportar água bruta de pontos estratégicos até esta represa. Com isso, a autarquia consegue elevar a reserva deste importante manancial que abastece a cidade. 
A companhia ainda ressalta que pode contar com o suporte adicional do sistema Pau D’alho/Mombaça para captação de água bruta, que consegue suprir a vazão das represas com menor armazenamento, como Itaim e Gomes.  Segundo o superintendente da CIS, Vincent Menu, nesta semana iniciam-se as operações deste sistema com energia elétrica, dispensando o uso essencial de geradores movidos a diesel, resultando em mais economia aos cofres públicos e também benefícios ao meio ambiente.  “Ainda temos outras duas frentes de obras avançadas no sistema Pau D´alho/Mombaça , que devem ser concluídas até o final deste ano”, pontua. São elas: a construção da adutora de 600 metros do bairro Santa Laura até a Estação de Tratamento de Água no Rancho Grande – que irá permitir um salto na captação de 80 litros por segundo para 280 l/s. Um marco inédito alcançado pela CIS em uma captação de água bruta para a população ituana.  E também a recuperação das margens do Ribeirão Mombaça, que vai garantir a segurança dos equipamentos instalados no local. 
“Hoje conseguimos manter o abastecimento da população com certa tranquilidade. No entanto, não podemos esquecer que período de estiagem segue até outubro. Seguimos em alerta e o uso consciente da água é fundamental”, salienta Menu.

Chuvas – Segundo o Clima Tempo, mês de maio fechou com uma precipitação de 8,9 mm, volume inferior à média histórica dos últimos 10 anos que é de 64 mm.   O volume pouco expressivo não influenciou o nível dos mananciais. No entanto, a queda de temperatura e a colaboração da população na redução de consumo foi determinante para mantermos o abastecimento da cidade com segurança. “Seguimos trabalhando para garantir o fornecimento de água para os ituanos e contamos com a colaboração de todos para reduzirmos o consumo nos imóveis em 30%”, finaliza o superintendente da CIS.

prefeitura- agua
Situação das Bacias Hidrográficas 2018 – Data: 04/06/2018 
prefeitura - agua 2
Instalações Elétricas no Mombaça