Mesmo com críticas da oposição, orçamento de R$ 716,5 milhões é aprovado

O Poder Legislativo aprovou, por unanimidade, o projeto de lei que trata do orçamento municipal de 2018 no valor de R$ 716,5 milhões. O projeto será novamente votado, agora em definitivo, na próxima quarta-feira, dia 22, e a expectativa é que seja aprovado.
As duas principais secretarias beneficiadas pelo orçamento é a Educação com aproximadamente R$ 162,5 milhões e a Saúde com R$ 103 milhões.
Durante o debate do projeto, os vereadores de oposição, Reginaldo Carlota e Maria do Carmo Piunti criticaram os valores apresentados pela Prefeitura e condenaram também o percentual de remanejamento de verbas diretas, sem o aval da Câmara: “É na verdade um cheque em branco para o prefeito, que tem a possibilidade de mudar até 40% do orçamento sem autorização da Câmara. Apresentei uma emenda reduzindo para 20% o percentual e caso não seja aprovado pelos demais vereadores serei contrária ao orçamento em segunda votação”, argumentou Maria do Carmo, que também lamentou a ingerência dos vereadores na formatação do orçamento.
O vereador e crítico da administração pública, Reginaldo Carlota, também citou que a atual gestão não atingiu a marca dos R$ 500 milhões em 2017, mas projeta R$ 716 milhões no próximo ano: “Vai aumentar IPTU? É um absurdo!”.
Os vereadores da base governista, Givanildo Soares e Benedito Roque de Moraes apontaram aos colegas de Legislativo que os orçamentos são previsões e que podem sofrer mutações ao longo do ano: “São administrações e momentos diferentes, e os números também mudam. Antes não tinha a Companhia Ituana de Saneamento, por exemplo e somente o orçamento dela é superior a R$ 60 milhões”, justificou Dito Roque.
Durante o debate, o vereador Carlota se estranhou com o presidente da Câmara, José Galvão que solicitou ao vereador para não desviar o foco da discussão que era o orçamento municipal. Outra troca de farpas foi com Givanildo Soares quando criticou o prefeito e fez insinuações que vereadores “comem na mão do prefeito”.

Alterado – Em virtude do feriado da Consciência Negra, dia 21, a sessão daCâmara foi transferida para a terça-feira, dia 22, às 18 horas.