Prédios históricos esperam por restauro

Com 407 anos de muita história, Itu tem diversos prédios que são patrimônio público, tombados pelo órgão de preservação estadual Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico – CONDEPHAAT, órgão subordinado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Com suas construções centenárias e tombadas, os imóveis considerados de Grau de Proteção 1, que são edifícios de alto interesse histórico, arquitetônico e ambiental, com proteção integral, externa e interna, são Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária, Fábrica São Luiz, Igreja do Bom Jesus, Igreja Nossa Senhora do Patrocínio, Sobrados na Rua Paula Souza, nº 603, 607, 613, 617, – Antiquário Lila, 664 – Espaço Cultural Almeida Júnior,669 – Museu da Energia, Casa Imperial (Praça Dom Pedro, 14), Igreja São Benedito, Cruzeiro São Francisco, Mercado Municipal, Prédio desativado da Santa Casa de Misericórdia e Regimento Deodoro.

O grau de Proteção 2 é aplicado às edificações onde se destacam os valores ambientais. O edifício pode sofrer alterações internas, mas tem que manter preservada a fachada do edifício, os componentes arquitetônicos e a cobertura. Esta lista é extensa, com dezenas de imóveis, quase todos no centro do município.

Nesta matéria, levantamos a atual situação de três imóveis: Escola Convenção, Casa da Cultura e Mercado Municipal.

Toda intervenção em bem tombado deve ser previamente aprovada pelo Condephaat, a fim de evitar a descaracterização do patrimônio. Para isso, é necessário que seja encaminhado um projeto de intervenção para análise da área técnica do órgão. Posteriormente, o projeto é encaminhado para deliberação pelo conselho, que decide pela sua aprovação ou reprovação.

Segundo a assessoria do Conselho, “até o momento, a EMEF Convenção de Itu, de responsabilidade da Prefeitura de Itu, e a Escola Cesário Motta não enviaram projetos para análise do órgão. O Condephaat aprovou um projeto de restauro para o Mercado Municipal de Itu em julho deste ano e aguarda apresentação das etapas posteriores do projeto pelos responsáveis.”

Espaço Cultural Almeida Júnior

Casa da Cultura 2

Conhecido como o antigo prédio da escola Cesário Motta ou Casa da Cultura, o Espaço Cultural Almeida Júnior está localizado na Rua Paula Souza, 664, no sobrado majestoso que foi construído pelo fazendeiro e político Francisco Emigidio da Fonseca Pacheco para abrigar sua família. Já no final do século 19 o governo republicano de São Paulo comprou o local e em 1896, nele instalou o Grupo Escolar Cesário Motta. Em 1989, o Grupo Escolar foi para a rua Thomaz Simon e o sobrado recebeu o nome em homenagem ao pintor ituano, abrigando por diversos anos a Secretaria Municipal de Cultura. Oficialmente, está fechado para reforma.

O edifício pertence à Secretaria Estadual de Educação, e desde os anos 70 do século passado, está em uso pela Prefeitura.

O edifício está fechado desde 2012, quando houve um princípio de incêndio relacionado a rede elétrica, que é muito antiga.

Segundo a Prefeitura “a empresa VEC Engenharia & Gestão elaborou um projeto de restauro que foi aprovado pelo Iphan e pelo Condephaat.  Neste ano a aprovação do restauro foi novamente aprovada pelos órgãos competentes. E há interesse que o projeto seja executado internamente pelas secretarias municipais, até o momento não há estimativas de valores atualizados para o restauro.   O edifício deverá abrigar a Secretaria Municipal de Cultura e os museus municipais.”

EMEF Convenção de Itu

Escola da Convenção 2

A escola, construída em 1919, é um exemplar de uma das tipologias de edificação escolar implantadas durante a Primeira República pelo Governo do Estado de São Paulo, como parte da política pública de amplos investimentos feitos para promover a educação básica da população, ministrada fundamentalmente nos Grupos Escolares, e a formação adequada de professores, nas Escolas Normais. As construções resultaram de projetos e obras realizadas pelo Departamento de Obras Públicas (DOP), estrutura ligada à Secretaria da Agricultura responsável por criar e manter a infraestrutura paulista.

Segundo a Prefeitura “o imóvel onde se encontra instalada a Escola Convenção pertence ao Estado de São Paulo, que outorgou sua permissão de uso ao Município de Itu em 2008, cabendo a este zelar por sua guarda, limpeza e conservação. Nada foi feito ou arrecadado em gestões anteriores. Hoje, mediante acordo de cooperação, houve uma primeira intervenção/limpeza do telhado e as demais etapas do restauro irão ocorrer em breve para que, ao imóvel, seja conferida a destinação de interesse público que lhe é subjacente. O anúncio oficializado pela Prefeitura diz respeito ao apoio da empresária Neca Setúbal a iniciativa em decorrência da qual, inclusive, veio a ser celebrado o acordo de cooperação entre o Município de Itu e o Instituto Lambari – Arte, Cultura e Educação.”

Mercado Municipal

mercado-municipal

A proposta para edificação do Mercado Municipal de Itu data de 1886, mas sua inauguração somente iria se concretizar a 14 de maio de 1905, sob encomenda da Câmara Municipal, que percebia a necessidade de um ponto de comércio em Itu. Para isto, foi criado um  grande e vasto edifício, coberto de telhas francesas, construído com projeto do escritório técnico de Ramos de Azevedo, responsável pela construção do Teatro Municipal de São Paulo e de inúmeras outras importantes obras em todo o Estado.

Segundo a Prefeitura “ O restauro do Mercado Municipal é um dos grandes objetivos do governo municipal. Desde o início do ano protocolamos no Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) órgão da Secretária Estadual de Turismo o pleito para Restauro do Mercado Municipal e entorno. O projeto executivo já está pronto e sendo analisado pelo órgão responsável.”