Mães reclamam de falta de vacina pentavalente

Imunização protege crianças nos primeiros meses de vida de graves doenças, como tétano, coqueluche e hepatite

Essencial para crianças aos dois, quatro e seis meses de idade para proteger contra o tétano, difteria, coqueluche, hepatite B e Haemophilus Influenzae tipo B, a vacina pentavalente está em falta nas Unidades Básicas de Saúde do município.

Isto tem causado preocupação nas mães que procuram as Unidades e não encontram a imunização para seus filhos. “Minha filha tomou apenas aos dois meses, já está prestes a completar seis e não tomou mais nenhuma. Falaram que ia chegar nesta quarta-feira, 12, mas levei ela até a Unidade e disseram que só em agosto”, diz Alice Scalet.  Ela foi orientada pela pediatra do seu filho a dar a vacina em uma clínica particular, mas afirma não ter condições. “Estou desempregada e acho muito caro. Vou ter que esperar e rezar para que não aconteça nada.”

A pediatra Mônica Scivittaro Mello destaca que a vacina é muito importante e que a pentavalente da rede pública é diferente da rede particular. “Na particular, a penta inclui meningite, difteria, tétano, coqueluche e pólio, já na pública é inclusa a hepatite B. São doenças que matam, é muito importante a prevenção”, relata.

 

Confira a matéria completa na edição impressa do Jornal Agora Itu, de 15/07/2017.